Início Notícia Entenda o que é o Veto 52; sessão do Congresso deve definir...

Entenda o que é o Veto 52; sessão do Congresso deve definir o tema nesta terça-feira

Com o fim do Carnaval e a volta de deputados e senadores ao Congresso, a agenda parlamentar promete reviver temas polêmicos, entre eles o veto ao orçamento impositivo. Uma sessão conjunta prevista para esta terça-feira (3), convocada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, pode definir o tema.

Na sessão desta terça, além da análise e votação de outros vetos presidenciais, os parlamentares deverão votar o chamado Veto 52, que se trata de um veto parcial do presidente Jair Bolsonaro no orçamento impositivo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020.

Na prática, o veto parcial de Bolsonaro diz respeito ao controle de cerca de R$ 30 bilhões por parte do Congresso. A proposta ainda previa regras para pagamentos de emendas parlamentares, prazos e até punições ao governo, em caso de descumprimento, que foram retiradas do texto.

Na Câmara, serão necessários 257 votos para manter o veto do presidente, enquanto no Senado, é preciso 53. Caso haja a derrubada do veto, o Congresso passa a controlar os R$ 30 bilhões de recursos em emendas parlamentares, que poderão ser distribuídas em verbas para Estados e municípios.

O tema provocou uma crise entre governo e congressistas. A fala vazada do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, que afirmou que os parlamentares faziam “chantagem” com o governo, deixou esse cenário ainda mais claro. No Twitter, Heleno se justificou.

“Externei minha visão sobre as insaciáveis reivindicações de alguns parlamentares por fatias do orçamento impositivo, o que reduz, substancialmente, o orçamento do Poder Executivo e de seus respectivos ministérios”, tuitou.

#Veto52: o que as redes sociais dizem

Nas redes sociais, a tag #Veto52 vem sendo usado por parlamentares que planejam votar pela manutenção do veto, ou seja, para que o orçamento saia das mãos do Congresso e fique com o Executivo, e também por aqueles que defendem que essa prerrogativa fique nas mãos da Casa, que votarão pela derrubada do veto. Apoiadores da manutenção do veto também tem se manifestado e cobrado parlamentares através da hashtag.

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), no Senado, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) afirmou, por meio do Twitter, que votará pela manutenção. “Não é missão constitucional do Parlamento, em todos os níveis, a execução das ações constantes do Orçamento. O Poder Executivo não tem esse nome por mero acaso”, escreveu.

O senador Major Olímpio (PSL-SP), em vídeo postado no Twitter, afirmou que a medida “engessa e amarra o Executivo. Querem fazer um parlamentarismo branco, mas não foi isso que o Brasil escolheu”, declarou. Olímpio ainda declarou que ele e outros senadores deverão obstruir a sessão para impedir a votação do tema.

Outro parlamentar que se posiciona contrário a derrubada do veto é Alvaro Dias (Podemos-PR). Nas redes sociais, o senador afirmou que deseja a manutenção do veto e que deixar R$ 30 bilhões nas mãos do relator do Orçamento “abre portas para desvios e para má aplicação dos recursos públicos”.

O ex-jogador e atual senador Romário (Podemos-RJ), que ainda não havia se posicionado sobre o tema, declarou nesta segunda que votará pela manutenção do veto 52, de Bolsonaro. O deputado Girão Monteiro (Podemos-CE) também é favorável a manutenção e, declarou no Twitter, que “o papel do legislativo é legislar e fiscalizar”.

Na Câmara, o deputado federal Luiz Lima (PSL-RJ) também é favorável a manutenção do veto 52. “Não é nada razoável concentrar R$ 30 bilhões nas mãos de uma única pessoa. Os recursos públicos precisam ser distribuídos corretamente, levando em consideração as prioridades dos brasileiros”, tuitou.

O movimento Vem Pra Rua, que tem se mostrado favorável a manutenção do veto, lançou a plataforma Veto52.com.br, que mostra todos os parlamentares que já se posicionaram diante do tema. Pelas contas da ferramenta, havia 426 deputados indecisos, 83 favoráveis a manutenção do veto, e 2 contrários, na Câmara, até a noite desta segunda. Já no Senado, 30 senadores são favoráveis, enquanto 50 ainda se mostram indecisos e um contrário.

Outros sete vetos estão previstos para serem analisados e votados na mesma sessão desta terça.

Por Jovem Pan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Must Read

Bolsonaro autoriza contratação de terceiros para agilizar serviços do INSS

A Medida Provisória (MP) publicada pelo governo nesta segunda-feira (2) permite a contratação de servidores federais aposentados da administração pública

Receita chama a atenção para erros comuns que podem levar contribuinte para a malha fina

Por Jovem Pan A Receita Federal alerta os contribuintes para evitar erros comuns na hora de declarar o Imposto de...

Entenda o que é o Veto 52; sessão do Congresso deve definir o tema nesta terça-feira

Com o fim do Carnaval e a volta de deputados e senadores ao Congresso, a agenda parlamentar promete reviver temas polêmicos, entre...

Com a benção do Papa, a Igreja Católica discute a “diabólica” inteligência artificial

Documento do Vaticano detalha como a inteligência artificial deveria ser regulada e conta com o apoio de...

Chuva forte deixa ao menos nove mortos na Baixada Santista; seis pessoas continuam desaparecidas

As chuvas que atingem a região da Baixada Santista desde a segunda-feira (2) já provocaram ao menos nove óbitos nas cidades de...

Selecione uma estação Wind